Home

O site Ballet para Adultos foi a consequência natural de um trabalho de divulgação do Ballet que se iniciou já há bastante tempo. Há mais de 25 anos o Ballet faz parte de minha vida e a cerca de 10 anos dou aulas de Ballet para estudantes que levam a arte do Ballet muito a sério. Sou bailarina, formada pelo Ballet Márcia Bueno.

Constantemente busco meu aperfeiçoamento como tática para oferecer um sólido aprendizado aos meus alunos.

Para tanto, participo constantemente de cursos e faço aulas semanais com diferentes professores... porque para mim a busca por conhecimento é uma constante. Como podem ver, o Ballet tem uma estreita ligação com a minha vida. Consequência natural disto foi expandir e divulgar o conhecimento adquirido. Primeiro dando aulas no Ballet Márcia Bueno, para bailarinos em processo de formação e adultos, e depois para as alunas portadoras de deficiência visual, da Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini (vale a pena conhecer o belíssimo trabalho da associação).

Sintam-se à vontade para navegar nas páginas deste site, conhecer nosso trabalho e participar dele, se assim o desejarem.

Abraços à todos

Daniela Sanches

8 de mar de 2011

Evite lesões e dor no ballet

Foi lendo um artigo muito bom do “The Washington Post” que tive a idéia de escrever este post. No texto Dancing Against Time, de Julho de 2001, Rachel S. Cox conta sua experiência com o ballet e os cuidados para se evitar lesões.

Muitos podem dizer que a dor intensa no dia seguinte à aula de ballet é sinal de eficiência, certo? ERRADO!!!

Se você era um sedentário ou voltou a pratticar ballet depois de ter parado por vários anos, é absolutamente comum sentir uma dor muscular leve e suportável após as aulas. Essa dor deve desaparecer dentro de três ou quatro dias.  Porém se essa dor for insuportável, que você sente ao andar (aquela que só diminui perante o uso de analgésicos e mesmo assim não some) e estiver localizada principlamente na virilia, lombar, ou joelhos é sinal de que você foi além de seus limites e que provavelmente ao invés de mais técnica, você conquistou uma lesão (ou quase conquistou).

Para o nosso corpo se acostumar com um determinado rítmo de execício físico, são necessários aproximadamente três meses. A cada ciclo podemos então aumentar o rítmo, tornando as sequências mais complexas e introduzindo novos exercícios. É claro que esse tempo tem variantes, considerando que cada indivíduo responde à prática de maneira diferente e também pratica mais ou menos vezes por semana por exemplo. Mas de qualquer maneira, se você for uma adulto iniciante, esse tempo não deve sofrer uma grande variação. Por isso é necessário “ir devagar”. Os exercícios de flexibilidade de pernas e coluna por exemplo, devem ser ministrados com muuuuita cautela. Digo mais: os de perna devem ser evitados (pelo menos no início). Ficar nos pliés e grand battements (até no máximo 90º) já está de bom tamanho para o começo. É extremamante perigoso forçar as pernas para abrirem no chão, exigindo que o peito encoste na perna e etc. É muito mais provável que você  conquiste uma distensão, do que mais flexibilidade excedendo seus limites dessa maneira. Outros exercícios em barra vão te oferecer mais flexibilidade neste início.

Quanto á flexililidade de coluna desde o inicio podemos introduzir os cambrés. Porém com cautela. Considero um forma segura iniciar pelo cambré devant (na frente) até 90º, e com os cambrés de cintura (laterais). O Cambré derriére (para trás) deve ser iniciado um pouco mais adiante. Quanto ao uso das pontas, quando me é perguntado digo para não pensarem nisso pelo menos no começo. E sou sincera em dizer que seu uso poderá ou não acontecer. A maioria das minha alunas não tem o uso das pontas como priopridade, mas nem por isso levam o ballet menos a sério. Outras questionam se será possível e um pequeno grupo cobra o uso. Nos dois ultimos casos explico que tudo vai depender das condições físicas de cada aluno, do seu desenvolvimento e seu propósito dentro do curso, e que mesmo se as condições anteriores forem excelentes o uso das pontas não será nada fácil e introduzido com muita cautela. Assim procuro não iludir ninguém e evitar lesões definitivas nos joelhos e coluna das minhas alunas.

Cambre Cambre a 90º Cambre Completo Grand e Cart Cambre Lateral

Ainda no caso das pontas é preciso ter bom senso e diferenciar os casos. É preciso deixar o recalque de lado e entender que existem algumas diferenças entre a mulher que retorna ao ballet aos 19 ou 20 anos (que deixou de praticar aos 10 anos por exemplo) e a de 50 que decide começar a praticar nesta idade. Não é preconceito do professor dizer que a mulher de 20 anos provavelmente usará as pontas. É sinceridade de quem não quer formar uma sala de aula com alunos frustrados por exigir – não só no caso das pontas, mas também com passos e exercícios inadequados para a etapa de estudo do ballet – além dos limite físicos de cada um. 

Seja sempre honesto com seu professor. Mesmo que ele não pergunte, diga a ele se estiver com alguma dor persistente que antes de iniciar o ballet você não sentia. Juntos vocês poderão descobrir a causa da dor. Quanto antes você começar a tratar uma lesão, menor será a chance de ela se tornar defiitiva.

Sempre é possível aperfeiçoar mais e mais nossos movimentos. A melhora  será conquistada com perseverança e disciplina. Tem a ver sim com transpor limites e vencer desafios, mas mais ainda, tem a ver com satisfação. Como já citei acima dores leves e bolhas (no caso de quem já faz uso das sapatilhas de ponta) são comuns na prática do ballet. Só quero chamar atenção para o seguinte: respeite seus limites. Sem nenhuma lesão é mais provável que você apresente melhor desempenho nas suas aulas de ballet para iniciantes e chegue longe. Talvez onde você nunca imaginou!

 

Leitura complementar:

5 comentários:

  1. adorei seu depoimento sobre lesoes no balé!!!
    é muito importante esta ciente sobre esses assuntos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei a tentar fazer alguns execícios de flexibilidade,porém tem horas que meu joelho doí,é suportável. Continuo fazendo?

      Excluir
    2. Olá Julia! Algum exercícios podem causar um pouquinho de dor mesmo. Costumo dizer para minhas alunas que a dor "normal" vamos dizer assim, é aquela que some sozinha depois de descanso. Mas S for aquela dor que não some ou só diminui depois de dois ou três comprimidos de analgésico ... tem coisa errada aí (sobre tudo quando se trata de joelho e coluna).
      Como professora que não te conhece pessoalmente e principalmente não sabe quais são estes exercícios que você faz, não estou apta a te dizer se você deve ou não continuar a praticá-los.
      Comente com sua professora sobre isso, mas o bom mesmo é ir com calma e consultar um ortopedista. Ele com certeza saberá te dizer se suas dores são "normais" Boa sorte! Mande notícias

      Excluir
  2. Ah!Eu também gostei muito pois,é muito importante respeitar o seu limite,para assim aos poucos conquistando as posições e passos desejados,sem prejudicar seu corpo. Um Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Andréa! "Devagar e sempre" rsrs. Exagerar pode significar uma lesão e algum tempo fora das aulas de ballet ... aprender as coisas com calma também significa construir uma base sólida e segura para todo o aprendizado da dança e isso é muito importante para os estágios mais avançados! Boas aulas, um abraço.

      Excluir

O espaço abaixo é reservado para você falar o que você pensa:
    * Sua opinião;
    * Um depoimento;
    * Uma dica de artigo ou matéria;
    * Um elogio;
    * Uma reclamação.



Se quiser deixar o link do seu blog, utilize a opção openID e deixe a url do seu blog.

A sua opinião é muito importante para nós!


Os comentários são lidos por nós antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
    * com propagandas (spam);
    * com link no conteúdo dos comentários;
    * com palavrões ou ofensas.

Para saber mais: